terça-feira, 25 de julho de 2017

Da semelhança entre coisas diferentes



Declaração de interesses: o raciocínio subjacente a este post não é totalmente meu.

***

Que ligação há entre a imagem da esquerda e a imagem da direita? Em que se assemelha o Desterrado, de Soares dos Reis e um consomé de aves? Aparentemente nenhuma, aparentemente em nada. E no entanto, se olharmos para a estátua como uma escultura, não dando importância ao nome nem ao artista, talvez encontremos mais facilmente uma conexão qualquer. Vejamos, então:

Já aqui falei no pensamento de Miguel Ângelo que olhava para um bloco de pedra e imaginava a obra que dali sairia. Bastava-lhe, para isso, retirar tudo o que estava a mais. Esta ideia, que prova a genialidade do escultor, vai na linha da curiosidade seguinte, que nos diz que todas as formas de arte são acrescentos: coloca-se tinta em cima de uma tela; colocam-se palavras em cima de uma folha de papel; colocam-se notas de música em cima de uma pauta; colocam-se desenhos em cima de folhas de rascunho. Todas as formas de arte, sobretudo as mais vulgares, são, de facto, acrescentos. A única em que a situação é inversa é nesta forma de escultura (por oposição a uma mais moderna, com justaposição de elementos): de um bloco de pedra tira-se o acessório. Não se acrescenta nada, muito pelo contrário. 

Um consomé de aves é a escultura de uma cozinha elegante. Não porque nalguns casos não possa ser considerada uma obra de arte, mas porque é o contrário do acrescento cujo paradigma poderia ser, por exemplo, a sopa da pedra, prato no qual se acrescenta tudo, até uma pedra... Um consomé de aves é, de alguma forma, o percurso inverso: retira-se tudo, porque apurar - uma palavra tão importante na gastronomia - é retirar, é chegar à essência dos ingredientes despojando-os das suas características desinteressantes e inúteis. É chegar ao tutano das coisas. Apurar não é apenas transformar, fazer passar do estado sólido ao estado pastoso, amolecer matéria-prima, misturar, combinar sabores. Apurar é esculpir - é olhar para um bloco de pedra e ver um líquido claro que satisfaz os sentidos.

Nesse sentido - e só nesse sentido - não há diferença entre o Desterrado e um Consommé de Volailles

JdB  

Sem comentários:

Acerca de mim

Arquivo do blogue