domingo, 12 de setembro de 2010

24º Domingo do Tempo Comum

Hoje é Domingo, e eu não esqueço a minha condição de Católico.

Tenho de confessar que gosto destas duas parábolas. Na sua versão longa (não a que reproduzo abaixo), o Evangelho de hoje inclui o regresso do filho pródigo. Usei várias vezes o conceito espelhado na forma breve ao discutir com uma amiga - mais afastada destas coisinhas da religião - que entendia, maliciosamente, não poder ir à Igreja porque não se sentia digna. E eu bem lhe explicava, na minha fraca argumentação, que vamos à igreja para ser santos, não porque já o somos, e que a alegria de Deus é infinita quando reencontra um filho transviado, uma ovelha tresmalhada, uma moeda perdida.

O Evangelho de hoje é, também, um convite ao arrependimento. Ao arrependermo-nos, na perspectiva de cristãos que somos, estamos a reencontrar o amor de Deus, a disponibilizarmo-nos para receber o abraço divino, a olhar nos olhos, com uma consciência tão tranquila quanto possível, o Pai que nunca nos abandonou, mas do qual fugimos. Por isso o sacramento, que muitos de nós conhecemos outrora como sendo a confissão, chama-se agora reconciliação. Expressão bem mais feliz, e que se pode aplicar a tantas situações da nossa vida.

À nossa maneira, e com a liberdade criativa que me é dada para comentar este evangelho na sua forma breve, todos ambicionamos ser uma ovelha ou uma dracma. Se tudo o resto nos faltasse, a alegria do pastor ou a felicidade da mulher que encontram o que perderam já seria em si bastante. E esses sentimentos não são, no fundo, mais do que o amor misericordioso de Deus que nos quer junto a Si.

Bom Domingo para todos.

EVANGELHO - Lc 15, 1-10

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas

Naquele tempo, os publicanos e os pecadores aproximavam-se todos de Jesus, para O ouvirem.
Mas os fariseus e os escribas murmuravam entre si, dizendo:
«Este homem acolhe os pecadores e come com eles».
Jesus disse-lhes então a seguinte parábola:
«Quem de vós, que possua cem ovelhas e tenha perdido uma delas, não deixa as outras noventa e nove no deserto, para ir à procura da que anda perdida, até a encontrar?
Quando a encontra, põe-na alegremente aos ombros e, ao chegar a casa, chama os amigos e vizinhos e diz-lhes:
'Alegrai-vos comigo, porque encontrei a minha ovelha perdida'.
Eu vos digo: Assim haverá mais alegria no Céu por um só pecador que se arrependa, do que por noventa e nove justos, que não precisam de arrependimento.
Ou então, qual é a mulher que, possuindo dez dracmas e tendo perdido uma, não acende uma lâmpada, varre a casa e procura cuidadosamente a moeda até a encontrar?
Quando a encontra, chama as amigas e vizinhas e diz-lhes: 'Alegrai-vos comigo, porque encontrei a dracma perdida'. Eu vos digo: Assim haverá alegria entre os Anjos de Deus por um só pecador que se arrependa».

Sem comentários:

Acerca de mim

Arquivo do blogue