quarta-feira, 21 de junho de 2017

Duas Últimas

Infelizmente, as boas notícias com que o País e a generalidade dos portugueses têm sido contemplados nos últimos tempos sofreram no passado fim-de-semana um forte, brutal, abalo.

Arrepiantes as imagens que nos foram sendo mostradas, naquelas noite e madrugada terríveis.

Não sendo ainda o tempo de procurar as explicações que a gravidade da situação exige, como bem sublinhou MRS, não posso no entanto deixar de pensar no que nos foi dado ver ou confirmar: a progressiva desertificação do interior, a escassez de hortas e pomares, que também serviam para criar distâncias de salvaguarda entre as casas e as matas, o excesso de eucaliptos, as florestas de "minifúndio" por limpar, a dificuldade dos bombeiros em se organizarem. Agravando de forma decisiva uma situação climatérica já de si extremamente adversa, como foi o caso.

Que o sucedido nos ajude a mudar. Também neste ranking temos de melhorar radicalmente. Estou convicto que o diagnóstico está feito, temos gente competente e com saber na matéria. Há que actuar, outros já o fizeram com sucesso (e coragem). Se continuarmos a adiar, qualquer dia o remédio será entregar o interior a quem queira tomar conta dele...

Vi grandes exemplos humanos nas reportagens televisivas. De homens mas sobretudo de mulheres, empenhadas com valentia na defesa dos seus - pessoas e bens - em cenário de pavor.

Dolores O' Riordan, vocalista dos Cranberries, também é uma mulher corajosa, defendendo com intransigência a sua Irlanda. Com uma voz forte e límpida, numa figura frágil na aparência.

Espero que também apreciem.

fq




Sem comentários:

Acerca de mim

Arquivo do blogue