terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Duas últimas

Os Amor Electro nasceram em 2011, tendo como vocalista Marisa Liz, figura aparentemente frágil mas beneficiada por potente e clara voz, num todo sem dúvida “engraçadinho”, como diria o nosso Jerónimo. 

Selecionei uma sua interpretação duma música que é originária dos Ornato Violeta, um outro grupo rock com mais uns anitos, nados e criados no Porto, com nome e sucesso nos finais dos anos 90 do século passado. Mas os Amor Electro têm música própria de qualidade, se tiverem curiosidade encontram-na com facilidade.

Noutro registo, algo me faz lembrar que escrevo no dia em que, há 108 anos, mataram infamemente o Rei no Terreiro do Paço.

Se notarem, o álbum de que retirei a música chama-se “Cai o Carmo e a Trindade”, expressão popular que se ficou a dever ao terramoto de 1755, que arrasou Lisboa e designadamente essas duas igrejas/conventos. A cidade, como sabemos, conseguiu reerguer-se da tragédia, com esforço, arte e planificação.

Dos crimes de 1908 acho que Portugal nunca recuperou. Acelerou desde então a condição de “estado exíguo”, na expressão de alguém que me é próximo, ao jeito de outros que há pela Europa e cuja irrelevância se estudava na ciência política.

Se não concordarem, ao menos ouçam a música.


fq

Sem comentários:

Acerca de mim

Arquivo do blogue