domingo, 26 de agosto de 2012

Domingo, Se Fores à Missa!

A persistência é uma qualidade que se tem vindo a perder. Os nossos jovens – a geração “descartável”, como lhes chamo – pouco sabe de persistência. A velocidade supersónica com que descartam um objecto, uma ideia ou uma namorada é assustador.  Estragou-se? Deita fora.  Não serve? Deita fora. Não satisfaz? Deita fora …  venha outra.

Ainda sou do tempo em que tudo se mandava arranjar: um colar que se partia; as malhas nas meias de vidro; os bocadinhos de um prato partido que se colavam com uma paciência infinita; as cabeças e os braços das bonecas que se soltavam; o vestido que ficava curto; a lâmina das facas e as varetas dos guarda-chuvas, etc… etc…

Hoje em dia, deita-se tudo fora e compra-se novo.  Sinais dos tempos modernos, do consumismo, do poder económico. Mas, também, sinais de que o ser humano está a perder valores.  Esta facilidade com que substitui um objecto estragado ou obsoleto, foi subtilmente transposta para as relações humanas. Antigamente, tínhamos 2 ou 3 (boas) amigas com quem persistíamos na amizade, um par de jeans que persistiam no nosso armário, um namorado que persistia em aparecer lá por casa. Hoje em dia, têm 20 ou 30 amigas, um armário repleto de jeans, vários namorados que nunca aparecem lá em casa.

Que é feito da persistência? Foi destronada pela desistência? Ao que parece, já não lutamos para salvar um casamento, para manter viva uma relação, para realizar um sonho de infância, para conservar um telemóvel em bom estado. Desistimos ao primeiro contratempo! E achamos isso normal...

Na leitura de hoje, muitos foram os que desistiram e deixaram de seguir Jesus.  Sejamos, nós, um dos Doze que, apesar de tudo, acreditaram e persistiram no seu caminho de fé.

Domingo, Se Fores à Missa ……  Sê Persistente !

Maf

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, muitos discípulos, ao ouvirem Jesus, disseram: «Estas palavras são duras. Quem pode escutá-las?».
Jesus, conhecendo interiormente que os discípulos murmuravam por causa disso, perguntou-lhes:
«Isto escandaliza-vos?
E se virdes o Filho do homem subir para onde estava anteriormente?
O espírito é que dá vida, a carne não serve de nada.
As palavras que Eu vos disse são espírito e vida.
Mas, entre vós, há alguns que não acreditam».
Na verdade, Jesus bem sabia, desde o início, quais eram os que não acreditavam e quem era aquele que O havia de entregar.
E acrescentou: «Por isso é que vos disse: Ninguém pode vir a Mim, se não lhe for concedido por meu Pai».
A partir de então, muitos dos discípulos afastaram-se e já não andavam com Ele.
Jesus disse aos Doze: «Também vós quereis ir embora?».
Respondeu-Lhe Simão Pedro: «Para quem iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna. Nós acreditamos e sabemos que Tu és o Santo de Deus».

Sem comentários:

Acerca de mim

Arquivo do blogue