quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Colónia do Sacramento (Portugal no Mundo)


A Colónia do Santíssimo Sacramento,  na margem esquerda do Rio da Prata em frente a Buenos Aires (Património da Humanidade)  é uma relíquia portuguesa no Uruguay.
No século XVI, Martim Afonso de Sousa ao tentar "marcar" para Portugal a margem esquerda no estuário do Rio da Prata, não o faz, devido a ter sofrido um trágico naufrágio.


A Coroa Portuguesa e os comerciantes do Brasil sempre tiveram  o maior interesse   em possuir um entreposto comercial no estuário do Rio da Prata.
Região estratégica, que além de controlar a navegação do Rio da Prata dá acesso aos Rios Paraná e Paraguai, vias de transporte da prata vinda dos Andes Peruanos.
A troca de açúcar, algodão e café brasileiros por prata peruana  seria  facilitada.
Em 1680 o Capitão-mor D. Manuel Lobo, Governador da Capitania do Rio de Janeiro, funda a Colónia do Santíssimo Sacramento na Banda Oriental, território situado a Oriente do Rio Uruguay e a Norte do Rio  da Prata, onde constrói uma fortaleza  em frente a Buenos Aires.
A partir desta data até 1822, a guerra entre Espanha e Portugal pela posse  da Colónia do Santíssimo  Sacramento vai ser uma constante na História dos dois Países.                                                    

   Azulejos com a Bandeira Portuguesa (Museu em Sacramento)

Fotografias da Colónia do Sacramento

                                  Quadro onde se vê a alternância de soberania entre 1680 e 1828            
Em 1808, após a abdicação forçada de Carlos IV de Espanha,  Fernando VII cai na cilada  e vai a Bayonne, onde preso pelos franceses é obrigado a renunciar a favor de José Bonaparte (1808-1813) irmão mais velho de Napoleão. A Princesa do Brasil  D. Carlota Joaquina, filha primogénita de Carlos IV, casada com o Príncipe do Brasil D. João, manifesta então os seus direitos sucessórios relativos ás Províncias Espanholas da América do Sul. O projecto Carlotista, tinha como primeiro objectivo pôr D. Carlota Joaquina no trono da América Espanhola, para  evitar a fragmentação  do Reino Espanhol na América do Sul, como veio a  acontecer!    

A partir de 1811, os portuguesas fazem várias  incursões na Banda Oriental, que em 1813 ao integrar as Províncias Unidas do Rio da Prata, passa a chamar-se Província Oriental.  Em 1816,  D. Carlota Joaquina já como  Rainha de Portugal  (D. Maria I morre no Rio de Janeiro em 1816) manda o General  Carlos Frederico Lecor, Comandante da Divisão de Voluntários Reais do Príncipe,  conquistar  a Província  Oriental.  Em 1817, Lecor toma Montevideu.

Com o nome de Província Cisplatina, a Província Oriental fica incorporada no Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves.


Bandeira da Província da Cisplatina

Em 1822 com a Independência do Brasil, a Província da Cisplatina (onde se situa a Colónia do Sacramento) fica a pertencer ao Brasil.

Entre 1825 e 1828, dá-se entre o Império do Brasil e as Províncias Unidas do Rio da Prata (Províncias do antigo Vice-Reinado do Rio da Prata, com a Capital em Buenos Aires) a Guerra da Cisplatina.  Em 1828 com a Paz, a Província da Cisplatina (Província Oriental) com o nome  de Republica Oriental do Uruguay  torna-se Independente.       
                                                                 
Esquecida pelos portugueses, a velha Colónia do Santíssimo Sacramento no  actual Uruguay  mantem nomes portugueses e continua a ensinar o português!!

FMCN, Setembro de 2013

Sem comentários:

Acerca de mim

Arquivo do blogue