quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

As escolhas (gastronómicas) do gi



8 restaurantes que, por uma razão ou por outra, me cativaram, em 2015:

Não são "os melhores", nem um "digest de novidades". Apenas e só aqueles que me proporcionaram, tudo considerado e sopesado, as melhores refeições fora-de-casa(s), ao longo deste ano.

A Cevicheria, Princípe Real
Aposta mais do que ganha do famoso Chef Kiko, quase exclusivamente dedicada ao ceviche de matriz peruana. Moderno, "trendy", "casual chic", sem dúvida. Mas bem mais do que isso.

Apicius, São Bento
Aventura de um casal de jovens "restaurateurs" - ele também ao leme da cozinha -, é um restaurante "low profile", mas que cultiva uma inovação gastronómica consistente.

Bistrô 4, Liberdade
Raro é o hotel que nos conquista pelo seu restaurante. No caso do restaurante do novo Hotel Porto Bay Liberdade, abre-se uma excepção. Um espaço de cariz clássico, com serviço de qualidade e uma cozinha afinada que cumpre a promessa: local apropriado para almoços profissionais, com classe e sobriedade.

Boi-Cavalo, Alfama
Nas mãos de um chef curioso e inventivo, em grande parte auto-didacta, é um dos pequenos segredos da cidade. Uma cozinha surpreendente, cosmopolita, sem esquecer as bases portuguesas, "perdida" numa velha rua de Alfama.

Coelho da Rocha, Campo de Ourique
Em 2015, este clássico de sempre de Campo de Ourique regressou ao activo, agora nas e pelas mãos dos donos do vizinho, e alentejano, Magano. Comida portuguesa tradicional, pujante e orgulhosa, bastante bem executada.

Duck Tale, Rato
Cozinha asiática muito bem confeccionada, num espaço discreto e pouco conhecido, a preços muito razoáveis. Excelente semi-segredo da nossa cidade.

Hikidashi - Taberna Japonesa, Campo de Ourique

O pequeno japonês, também em Campo de Ourique, oferece uma interpretação requintada de pratos frios e de cozinha de fogo. Traído aqui e ali por uma ligeira inclinação para o famigerado "sushi de fusão", revela, contudo, toda a sua qualidade, quando praticamos uma "escolha informada" ou somos beneficiados por uma intuição certeira.

In Bocca Al Lupo, São Bento / Príncipe Real
Esta pizzaria biológica é, tudo considerado, a melhor pizzaria lisboeta. Ingredientes cuidados e, conceito oblige, 100% biológicos, num espaço caloroso e com pessoal correctamente simpático. Quase uma casa, a que sabe bem regressar, sempre que possível. Teste definitivo: um dos melhores sítios para uma refeição a sós.


E 4 restaurantes que, por uma razão ou por outra, quero experimentar, em 2016 (e não, não são os novos projectos dos "chefs do costume"):

Bistro Edelweiss
Cozinha suíça, em São Bento / Príncipe Real, num espaço decorado com rara felicidade.

Estória
O novo restaurante, em Algés, do chef Vitor Areias. Alta gastronomia portuguesa, reinventada.

Hansi
As famosas salsichas austríacas (irmãs das porventura mais conhecidas suas congéneres alemãs), acompanhadas por cerveja de feitura artesanal, num ambiente simples e simpático, perto do Mercado da Ribeira / Cais do Sodré.

The Old House
Cozinha chinesa de qualidade, na zona da Expo, oriunda da província de Sichuan, famosa pelo seu picante e sabores requintados, num espaço esteticamente bem conseguido.

gi

Sem comentários:

Acerca de mim

Arquivo do blogue