sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

Da importância do testemunho

4ª feira à noite, a convite de um amigo, fui ouvir o Fernando Santos. Saí de casa numa noite fria para  ouvir o cristão, não o treinador. Fernando Santos Falou-nos da sua vida, da sua história, do seu percurso. Sempre que abordou o tema futebol foi para contar uma história relacionada com fé, com missa, com a Bíblia. Mais do que falar dele - e falar de si já é bom - ele falou-nos de testemunho: da carta que leu quando nos sagrámos campeões europeus (e que é pública) da forma como aborda as amizades com agnósticos ou como lida com jovens futebolistas que são muçulmanos, judeus - ou apenas nada.

Vem este texto muito a propósito do texto que publiquei ontem e dos comentários que algumas pessoas tiveram a amabilidade de fazer - no blogue ou por mail. Nada me levaria a escrever duas vezes seguidas sobre um tema semelhante, mas a expressão testemunho, tão usada por Fernando Santos, a isso me impele. 

Acredito, como comentava ontem alguém, que há uma campanha para destruir valores que são essenciais a um conjunto alargado de pessoas, valores que estão por trás - e foram o suporte - da Europa que se construíu e que se vai destruindo com uma alegria que confrange. Acredito que há uma campanha para destruir a Igreja Católica. Acredito ainda que muitos dos inimigos da Igreja estão intra muros, não são apenas os comunistas ou os bloquistas ou os pretensamente ateus. Muitos tiros - e tiros graves - são dados nos próprio pés.

Talvez, portanto, esta ameaça requeira uma defesa diferente da Igreja Católica e dos verdadeiros valores de solidariedade e atenção aos mais desfavorecidos que ela defende, valores esses que se revelam nas pequenas igrejas domésticas ou locais, nas inúmeras ipss de inspiração cristã, nos milhares e milhares de membros do clero que, no anonimato de vidas santas, fazem do mandamento novo o seu ideário. 

Testemunhar tem de ser mais do que fazemos - seguramente muito mais do que eu faço. Testemunhar tem de ser defender o forte, uma árvore fundamentalmente sã, ainda que vergada ao peso de maçãs podres. Testemunhar é afirmarmo-nos católicos apesar de tudo, é defender a credibilidade da igreja mesmo em tempos de grande falta de credibilidade. Testemunhar é afirmar que nada de tão bondosamente revolucionário se "inventou" depois de Cristo. Testemunhar é também, nas possibilidades de cada um, estar presente, falar dentro da Igreja, colaborar, ajudar, criticar e sugerir e, se necessário, por a nu. Testemunhar tem de passar por escrever ao Observador a criticar e a manifestar indignação. Testemunhar tem de passar por denunciar textos como o do José Diogo Quintela pela sua falta de respeito (e o respeito tem de vir antes da gargalhada alvar). Testemunhar tem de ser dizer o que somos por onde passamos. 

Nunca o testemunho dos católicos e dos cristãos foi tão importante como agora. A nossa consciência e o futuro não nos perdoarão se perdermos por falta de comparência.

JdB

5 comentários:

Anónimo disse...

Lapidar, meu caro amigo!!

Obrigado,
fq

Anónimo disse...

Muitas vezes na história e outras tantas no futuro, a Igreja passou a passará por momentos dramáticos de que saiu e sairá mais forte e vitoriosa. Sofremos pelo pecado gravissimo e imperdoavel dos homens que fazem a Igreja, mas o bem triunfará, haverá regeneração, que á luz do mundo começou ontem pela mao do Santo Padre. Temos de dar a cara e ter a humildade de noa expor e pedir perdão. Mas nao temos de suportar os abutres que já voam sobre nós , até porque a noticia da nossa morte , algo precipitada.

Anónimo disse...

Lá vamos...
Testemunha provém do latim 'testis' para o que «atesta algo».
Mártir é palavra de origem grega e traduz-se directamente para o latim como 'testemunha'.

Em Latim, Testis significa Testemunha, terceira pessoa presente, apoiante legal. Na lei de Roma nenhum homem era admitido como testemunha a não ser que os seus testículos fossem apresentados como evidência da sua virilidade. Só aos homens confirmados como tal, era permitido contribuir para uma evidência, ou testemunho, em assuntos legais. Jurar pelos seus testículos era uma antiga forma de afirmação/confirmação.
Atestar, Prostestar, Protesto e Protestante têm a mesma raiz.
Detestar significa «testemunhar contra».
Testiculi significa pequenas testemunhas, de onde vem Testículo.
Em Grego, parastatēs significa Defensor (na lei), apoiante.

Quer Abraão, quer Jacob, pedem um juramento com a mão na sua coxa — uma maneira 'educada' mas responsabilizante de dizer «nos meus testículos».

São Gregório Magno escreveu ... «nós próprios podemos ser mártires sem passar pela espada, se conservarmos a paciência da alma».

Testemunhar não é nada fácil. Os quase 2.000 anos da Igreja o confirmam.
São Gregório Magno viveu por volta do ano 600 da nossa época. O que são mais de 1.300 anos para a Igreja?

Anónimo disse...

Fernando Santos é um Homem. E Homem de Fé cristã. Revejam uma 'entrevista' — notável — gravada na Capela do Rato, antes de Portugal vencer o europeu. Aquilo é que é testemunhar.

Anónimo disse...

Eu sou assim... Fui rever/ouvir Fernando Santos (na Capela do Rato).

E comovi-me, de novo. Aí senti logo que vós merecíeis assistir.
Aqui: https://www.youtube.com/watch?v=0U-dfBNHb0Q

Abraço.

Acerca de mim

Arquivo do blogue