quarta-feira, 8 de junho de 2016

Do feitio de Jesus [II] (sequência do post desta última segunda-feira)

Christ Healing the Blind EL GRECO (c. 1570)

Dos milagres referidos no evangelho de Lucas:

1) Jesus em Cafarnaúm (Lc 4, 33-35, episódio de um homem com um espírito demoníaco)
Jesus ordenou-lhe: "cala-te e sai desse homem"

2) Cura da sogra de Simão e outros milagres (Lc, 4, 33-41)
Inclinando-se sobre ela, ordenou à febre e esta deixou-a (...)
Mas ele repreendia-os e não os deixava falar (...)

3) Pesca milagrosa e chamamento dos primeiros discípulos (Lc 5, 1-11)
Entrou num dos barcos que era de Simão, pediu-lhe que se afastasse um pouco da terra e, sentando-se (...)
Quando acabou de falar, disse a Simão: "Faz-te ao largo ; e vós, lançai as redes para a pesca" (...)
Mas ele repreendia-os (...)

4) Cura de um leproso (Lc 5, 12-16)
Jesus estendeu a mão e toucou-lhe, dizendo (...)
Ordenou-lhe, então, que a ninguém o dissesse (...)

5) Cura de um paralítico (Lc 5, 17-26)
Vendo a fé daqueles homens, disse: "Homem, os teus pecados estão perdoados."
(...) ordeno-te - disse ao paralítico: levanta-te e vai para tua casa."

6) Cura da mão paralisada (Lc 6, 6-11)
(...) Jesus disse ao homem da mão paralisada: "Levanta-te e põe-te de pé, aí no meio."
Então, olhando-os a todos em volta, disse ao homem: "Estende a tua mão."

7) Cura do servo do centurião (Lc 7, 1-49)
Ouvindo estas palavras, Jesus sentiu admiração por ele (...)
"Digo-vos: nem em Israel encontrei tão grande fé."

JdB

2 comentários:

Anónimo disse...

Este tema é particularmente interessante e merece trabalho de levantamento . Foi Jesus um "Cristo dos afectos" ou, ao invés, foi um "Cristo ríspido" ?
«Amor» na obra e na mensagem e devoção da vida, ninguém discute, mas acompanhado ou desacompanhado da amabilidade no trato, da ternura, da meiguice.
Será que a Nossa Senhora e o culto que lhe fazemos é relacionável com esta temática.
JdB, obrigado pelo enunciado que faz e por tentar seguir, era bom abrir um diálogo.

Miguel disse...

Como aprendiz de teólogo, é sempre agradável verificar o sempre presente interesse pela Cristologia!
Sobre o tema, diria que os relatos dos milagres são relativamente poucos para deles podermos "colher" o feitio de Jesus, além de que é apenas uma das dimensões da Sua vida, entre aquilo que que nos ficou como testemunho no Novo Testamento. Para problematizar um bocadinho mais, diria que uma "investigação" mais alargada para nos aproximarmos do feitio de Jesus - e no fundo, de quem Ele é, de facto - poderia seguir alguns pontos de procura:
1. A partir da mensagem de Jesus (i.Parábolas, ii. Diálogos e discussões, iii. Ditos e ensinamentos)
2. A partir dos gestos de Jesus (i. Milagres, ii. Perdão dos pecados, iii. Refeições, enquanto lugar de intimidade)
3. A partir dos acontecimentos da morte e ressurreição de Jesus, como eles são compreendidas pelas primeiras comunidades, herdeiras directas do testemunho dos apóstolos.
Para complexificar ainda mais, diria ainda que se deve ter em conta que os próprios Evangelhos não são propriamente crónicas sobre a vida de Jesus, ao vivo e a cores, mas o testemunho resultante da memória que d'Ele tinham e que d'Ele celebravam os primeiros cristãos. Há aqui uma má notícia: é que temos acesso apenas a essa memória, e a pouco mais do que ela. Mas, que tenhamos quatro evangelhos, com características distintas e relatos não coincidentes, significa que temos (pelo menos) quatro tradições da memória de Jesus, o que para nós é a boa notícia, porque Jesus "lembrado" de quatro pontos de vista diferentes é mais rico do que Jesus "lembrado" apenas de um.
Espero não maçar!

Acerca de mim

Arquivo do blogue