terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Textos enviados por mão amiga

BONECO/A(S) DE NEVE

Durante a noite e madrugada nevou bastante :

08:00: decido fazer um boneco de neve.
08:10: uma feminista passa e pergunta-me por que é que não fiz uma boneca de neve.
08:15: decido então fazer uma boneca de neve.
08:17: a miúda dos vizinhos ficou chateada porque acha que os seios da boneca são demasiado voluptuosos.
08:20: o casal gay lá do bairro resmunga que poderiam muito bem ter sido dois bonecos de neve.
08:25: os vegetarianos do nº 12 protestam por causa da cenoura que faz de nariz do boneco. As hortaliças fazem parte da alimentação e não devem servir para brincadeiras.
08:28: passam uns afros que me apelidam de racista porque o casal é branco.
08:31: os muçulmanos do outro lado da rua querem que eu ponha um lenço na cabeça da boneca.
08:40: alguém chama a polícia para vir ver o que se passa
08:42: dizem-me para retirar a vassoura que está nos braços do boneco de neve porque pode ser utilizada como arma mortal. As coisas tornam-se mais tensas quando replico "sim, sobretudo se meterem o cabo da vassoura no ...."
08:45: chega, entretanto, a equipe de TV local. Perguntam-me se sei diferenciar um boneco de uma  boneca de neve. Respondo: "Sim, pelas bolas". Em directo e ao vivo, tratam-me imediatamente de "sexista".
08:52: o meu telemóvel é apreendido , controlado, enfiam-me no carro da polícia e levam-me para a esquadra.
09:00: apareço no jornal televisivo da manhã. Suspeitam que eu seja um terrorista que se aproveitou do mau tempo para perturbar a ordem pública
09:10: perguntam-me se tenho cúmplices.
09:29: um grupo jihadista desconhecido reivindica a acção

Moral: Não há moral nesta história. É a França dos dias de hoje, mas também podia ser a Alemanha, a Áustria, a Suécia ou qualquer outro país onde neva.

1 comentário:

Anónimo disse...

Claro!
Ou está tudo bêbado ou está tudo demente.

Acerca de mim

Arquivo do blogue