terça-feira, 6 de setembro de 2011

Duas últimas


Hoje faço uma pausa na música portuguesa com que vos tenho fustigado nos últimos tempos e proponho que ouçam My Back Pages, de Bob Dylan, aqui numa versão ao vivo que juntou no palco do Madison Square Garden, em 1992, alguns dos maiores génios dos tempos já longínquos da minha mocidade, do próprio Dylan a Clapton, passando por Young ou Harrison. Nomes a quem estarei sempre eternamente grato pelos grandes momentos que me proporcionaram e continuam a proporcionar, nos discos que gravaram ou nos espectáculos ao vivo a que tive o privilégio de assistir, neste caso poucos, é certo, que Portugal não é destino de passagem habitual de génios que não sejam os da bola!

Esta musica está inserida num álbum de Dylan de 1964 chamado Another Side of Bob Dylan, que representou uma viragem, uma mudança (usando um cliché tão em voga nestes tempos nublados, terá sido uma mudança “estratégica”?) no percurso do grande compositor, então muito criticado pelos “puristas” de Woodstock, da folk e da contracultura, por ter aderido à guitarra eléctrica e talvez mesmo à vil fama! Mas o certo é que mudou e não se deu mal, produziu depois deste outros álbuns absolutamente fantásticos – poderia enumerar vários – e “construiu” uma longuíssima carreira que ainda hoje dura, mesmo que actualmente de forma algo penosa, suponho que para ele mas sobretudo para os muitos admiradores, que os 70 anos já vão pesando!

A letra, difícil como grande parte das que Dylan escreveu, ainda mais para quem, como eu, lida mal com esta língua dominante, fala da desilusão de tempos passados, que antecipam a tal necessidade de mudança. Uma sequência lógica que nem toda a gente segue, infelizmente…

Nesta versão, aprecio sobretudo os solos de Clapton, um guitarrista excepcional, e a entrada em cena da voz nasalada de Dylan. E, já agora, há uma outra versão desta música que recomendo, interpretada pelos The Birds, que foram certamente, a par de Joan Baez, dos que mais aproveitaram o génio criador de Dylan.

Espero que gostem!

fq



Dylan, Harrison, Neil Young... por tigwenn

3 comentários:

JdB disse...

fq: como já tive oportunidade de te dizer, uma boa batida. Ouvi ontem e gostei, voltei a ouvir hoje, depois de uma hora muito matutina de paredão. Um bom tónico. Ontem, no meu post, falava de abraços, e a Ana LA dizia que era uma forma melhor de começar o dia do que com um mokambo. Se ao abraço se juntar esta genica e esta qualidade musical a troika que se ponha a fancos que a marcha energética é imparável...

Ana LA disse...

Belíssima escolha fq.
A "geração maravilha" da ruptura e do despenteamento do falso moralismo. Se não fossem eles, a diversidade e a tolerância seria vocábulos e não conceitos. Confesso que sou fã quase histérica do Clapton.
Como diriam as minhas filhas, Alta cena, man!

Philip disse...

Great choice of Dylan song, fq, but the video link has disappeared so I will try to find directly on youtube. Thanks, PO

Acerca de mim

Arquivo do blogue