quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Diário de uma astróloga – [11] - 26 de Outubro de 2011



O que fazem os astrólogos?

Através da etimologia grega da palavra os astrólogos são as pessoas que mantêm um dialogo (logos = falar, pensar, perceber) com as estrelas (astros). Estudamos símbolos planetários que depois traduzimos em linguagem corrente para um maior entendimento do que se passa na nossa vida e na dos nossos clientes e no mundo em geral.

Na prática do dia-a-dia durante as consultas e sempre com o objectivo dar mais escolhas aos meus clientes:

  • ·      Confirmo pontos fortes e fracos da personalidade
  • ·      Ajudo a descobrir um propósito de vida
  • ·      Sugiro o significado de períodos de crise, a melhor maneira de os viver, e sobretudo quando esses períodos têm tendência para acabar
  • ·      Indico as épocas mais apropriadas para fazer mudanças de carácter profissional e pessoal
  • ·      Esclareço padrões de relacionamento, blocos psicológicos, reacções emocionais que provocam problemas repetidos


De vez em quando surgem clientes que me fazem duvidar das minhas capacidades de lhes melhorar a vida.

Há umas semanas uma amiga, daqui para a frente designada por S, resolveu oferecer a uma sua colega uma consulta astrológica. S, por experiência própria, tem confiança na minha capacidade de conselheira e nos meus conhecimentos de astrologia. Quando me telefonou contou-me que a pessoa a quem gostaria de oferecer a consulta, daqui em diante designada por V, tem tido uma vida difícil a vários níveis e está com dificuldade em ver que caminho seguir.

Não sendo bruxa, nem tendo bola de cristal peço aos futuros clientes que me escrevam um texto contanto um pouco da sua vida e as suas preocupações de momento. Assim, posso antes da consulta debruçar-me com calma sobre o seu tema e os seus trânsitos. Durante a consulta concentro-me mais no diálogo, em ouvir,  em ligar-me emocionalmente ao cliente.

O texto de V deixou-me perplexa…  inúmeros e difíceis problemas a nível familiar e sentimental. Acontecimentos perturbantes como uma queda com consequências graves e ter sido assaltada na rua. E por fim, no último parágrafo conta-me que lhe foi diagnosticado um tumor (benigno) no cérebro.

Perguntei a mim própria se estaria a altura do que me era pedido… Como sei que há uma lei divina que só nos manda aquilo de que somos capazes e lá fiz o meu melhor. Durante a consulta achei que V talvez tinha ficado a sentir-se com mais controle sobre o seu destino mas como era anglo-saxónica e pouco expansiva, fiquei com dúvidas.

Poucos dias depois da consulta S telefonou para regularizar o pagamento e contou-me que V lhe disse que depois da consulta foi para a cama com um sorriso coisa que não acontecia há muito tempo.

Proporcionar sorrisos não esta na lista habitual do que fazem os astrólogos mas fiquei muito feliz por ser mais uma das atribuições desta minha profissão… 

Luiza Azancot, que estará em Cascais/Lisboa de 5 a 10 de Novembro

astrocape@gmail.com

1 comentário:

Ana disse...

Bom dia com um sorriso.
Confirmo tudo o que disse e acima de tudo tem a capacidade de desviar o nosso enfoque ensinando a ver o mundo de uma perspectiva diferente.

Psicologia+ astrologia não sei, definitivamente, e sem bolas de cristal, consigo percebemos as influências e as predisposições, os acontecimentos e pessoas que se cruzaram connosco e conseguimos assumir a responsabilidade do futuro mais confiantes e sem o peso determinista do passado.

Acerca de mim

Arquivo do blogue