segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Fórmula para o caos


. Portugal passou os últimos dias a especular sobre a reacção do Primeiro-ministro à descoberta do buraco orçamental da Madeira. Esteve muito bem Passos Coelho. Foi o primeiro líder do PSD a demarcar-se, de forma clara e contundente, do descalabro financeiro do jardinismo.

. Teve início a Assembleia Geral da ONU em Nova Iorque. Este ano marcada pelo pedido unilateral da criação do estado palestiniano. Até ao dia de hoje, ainda não foi feita a votação. Contudo, tudo leva a crer que maioria dos 193 Estados com assento na Assembleia geral vai votar favoravelmente. Não esquecendo que o Conselho de Segurança terá uma palavra a dizer. E ai, haverá com toda a certeza, um veto Americano. 

. A esquerda europeia rejubilou com a vitória dos seus " camaradas " nas legislativas dinamarquesas. Defendem que o centro esquerda foi, é e será sempre o principal pilar da integração europeia. Há, porém, que relevar um facto. O partido vencedor não dispõe de maioria absoluta para governar, tendo por isso feito uma coligação com os comunistas. Ainda acham que coligados com um partido eurocéptico poderão promover maior integração? Não me parece. A única união que os marxistas concebem é aquela que caiu de podre em 1991.

. Na Arábia Saudita as mulheres passarão a dispor de direito de voto a partir das próximas eleições municipais, aliás, as únicas existentes naquele país da Península Arábica. Vendo isto com olhos ocidentais, parece mais uma concessão por receio de uma revolução, semelhante às ocorridas na Tunísia, Egipto e Líbia, do que propriamente por convicção humana.

Pedro Castelo Branco

1 comentário:

Ana disse...

Notas interessantes para uns tempos tão confusos.

Acerca de mim

Arquivo do blogue