segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Textos dos dias que correm

Peregrinação de Advento
Primeira semana do Advento, segunda-feira: O que levar
Um presente para pedir a Deus

Peço pelo dom de ser capaz de distinguir entre o que posso querer e o que realmente preciso, pela graça de ser capaz de viajar com pouco peso na minha viagem ao longo da vida.

Uma reflexão para o caminho
Já alguma vez se sentou em cima de uma mala a abarrotar, para a tentar fechar? Ou já alguma vez voltou de férias e só então percebeu que não usou metade do que levou consigo? Tenho sempre a tentação, quando preparo uma viagem, de levar muito mais do que preciso, numa tentativa de ser capaz de responder a qualquer eventualidade. É uma das maneiras de lidar com algum do stress causado por sair de casa, abandonando (mesmo que temporariamente) tudo o que é familiar e confortável.
Porém, especialmente quando se faz uma peregrinação a pé, levar muitas coisas vai tornar-me mais lento e cansar-me mais rapidamente. Por isso é importante verificar cada coisa que me proponho levar. Preciso realmente disto ou passo sem ela? Poderei encontrar ao longo do caminho muito do que vou precisar? Viajar com esta disposição exige uma certa confiança. Mas se eu conseguir essa confiança, a viagem será provavelmente mais fácil e mais aprazível.
Pense na sua viagem entre hoje e o Natal, ou, de maneira mais abrangente, no momento da sua vida em que se encontra neste momento. Do que é que verdadeiramente precisa de transportar consigo? Haverá coisas, pessoas, situações que será melhor deixar para trás? Haverá alguma coisa a ser dita para viajar um pouco mais leve?

Uma passagem bíblica para o caminho
No capítulo 9 do Evangelho segundo Lucas, vemos como Jesus envia alguns dos seus seguidores mais próximos na sua primeira viagem missionária. Ele instrui-os a levar poucas coisas, assegurando-lhes que tudo o que precisarem lhes será providenciado:
«Nada leveis para o caminho: nem cajado, nem alforge, nem pão, nem dinheiro; nem tenhais duas túnicas. Em qualquer casa em que entrardes, ficai lá até ao vosso regresso.» (Lucas 9, 3-4).
Parece algo impraticável, idealista? É. No entanto, quando pensa na sua própria viagem, como é que esta passagem o pode ajudar a conter a muito humana tendência de tentar levar demasiadas coisas consigo?

Palavras para a viagem
Bom Deus,
pediste aos teus seguidores para viajarem com poucas coisas,
confiando que o que precisassem ser-lhes-ia dado no caminho.
Ajuda-me a pousar alguns dos pesos a que me agarro,
confiando que nada me faltará
na minha viagem para ti e contigo.

P. Paul Nicholson
In An Advent pilgrimage, KM Publishing
Trad.: SNPC

Sem comentários:

Acerca de mim

Arquivo do blogue