quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Diário de uma astróloga – [20] – 29 de Fevereiro 2012


As fases da Lua

Na semana passada, ao voltar para casa à noite, mais uma vez o espectáculo da lua nova a brilhar no céu me impressionou. A beleza do finíssimo C invertido no céu muito escuro toca-me sempre. Ou não tivesse eu nascido sob a Lua Nova.



A presença da Lua é forte na minha vida. Estou consciente da sua influência nas marés, por ter andado muito de barco à vela. Experimentem voltar para Lisboa sem vento e com a maré contra. Quando vivi em Cape Cod, plantei, tratei e colhi no meu jardim ervas medicinais e aromáticas, legumes e flores, respeitando rigorosamente o ciclo da lua. Até publiquei um Borda d’Agua adaptado ao clima local. Aqui têm a capa do último.



Já perguntaram porque a maior parte dos calendários normais tem as fases da lua indicadas? Como astróloga, gostaria de pensar que seja para alinharmos a nossa actividade com os ritmos do satélite da Terra, uma vez que poucas pessoas se dedicam à agricultura. 

Só temos a ganhar se nos alinharmos com os ritmos do Universo. Nada de arrogância… se a lua controla o movimento dos oceanos, o que não fará connosco, que somos 60% água? Para isso é preciso compreender o que cada fase significa, e para explicar vou usar uma metáfora de uma colega americana, Dana Gerhardt, que compara o ciclo completo da lua (29.5 dias) à escalada e descida de uma montanha. 
             

Lua nova
O céu está escuro mas temos a expectativa da luz que virá. Há uma sensação de princípio, de que tudo é possível. O objectivo final ainda é confuso. Na metáfora da montanha é aquele pensamento “talvez seja uma boa ideia escalá-la”. Na lua nova começo sempre qualquer coisa. Às vezes é simplesmente limpar a minha caixa de correio electrónico.
  
·      Até chegar ao quarto crescente (2 a 3 dias) é tempo de fazer pequenas revisões ao projecto incialmente pensado. O nosso montanhista ata melhor os sapatos, endireita as meias, ajeita a mochila.

Quarto crescente
Já passou uma semana desde a lua nova. Um semi-círculo está bem definido no céu. O montanhista tem que decidir; ouve vozes contraditórias: uma que diz “vai, consegues, já estás a meio caminho” e outra que diz “volta para trás, nunca hás-de conseguir”. São dois dias próprios para tomar decisões e passar à acção.

·      Entre o quarto crescente e a lua cheia o nosso montanhista vê o resultado dos seus esforços, o seu objectivo já está mais perto mas, por outro lado, está cansado. Só tem olhos para o cume.

Lua Cheia
Muito brilhante, ilumina o céu. O que se começou atingiu o auge… Ou foi um sucesso ou um falhanço. O montanhista chegou ao cimo. A vitória dura pouco, mais ou menos dois dias, mas enche-nos de alegria no caso de sucesso.   

·      Entre a lua cheia e o quarto minguante estamos a descer, temos uma perspectiva da paisagem que não tínhamos na subida enquanto fixávamos o objectivo. O que foi conseguido poderá ser partilhado e perguntamo-nos interiormente se valeu a pena.

Quarto Minguante
A luz vai diminuindo e um novo semi círculo brilha no céu. O nosso montanhista está a meio da descida, já com muita experiencia; é tempo de reflexão e de decisões interiores… pensa “para a próxima farei isto ou aquilo diferente”.

·      A luz da lua está quase a desaparecer. O montanhista chegou ao sopé da montanha. Feliz, finalmente vai poder descansar, a sua energia física é pouca mas a energia psíquica é grande. Muito descanso neste dois dias, é tempo de renovar energias.

A fase da lua sob a qual nascemos influencia também a nossa personalidade. Estas características ficam mais ou menos aparentes conforme os outros elementos planetários. As pessoas nascidas sob a:

  • Lua Nova – estão muito bem equipadas para inícios;
  • Quarto Crescente - são bastante decididas, acho até que procuram desafios para terem oportunidade de agir com clareza.
  • Lua Cheia – parece que têm brilho, entram numa sala e dá-se por elas. Vêm equipadas com o optimismo de ter conseguido chegar o cume.
  • Quarto Minguante - podem ser revolucionárias porque têm a perspectiva e a dureza da experiência, além de serem boas comunicadoras.
  • Antes da Lua Nova - são excelentes a acabar coisas e têm visão do futuro – às vezes até parecem profetas! São as que mais precisam de tempo para recarregar baterias.
  • Espero que este post vos faça olhar para o céu ou para o calendário… e interessarem-se em saber sob que lua nasceram.

Luiza Azancot


1 comentário:

Ana CC disse...

Eu nasci ja a fazer esforço. Belo quarto crescente que me faz olhar para o cume e pensar, bolas falta o mais difícil. Sera assim?
Interessantíssimo para não variar.

Acerca de mim

Arquivo do blogue