quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Ponto de Vírgula

Ora, senhores, já que somos cristãos, já que sabemos que havemos de morrer e que somos imortais, saibamos usar da morte e da imortalidade. Tratemos desta vida como mortais, e da outra como imortais. Pode haver loucura mais rematada, pode haver cegueira mais cega que empregar-me todo na vida que há de acabar, e não tratar da vida que há de durar para sempre? Cansar-me, afligir-me, matar-me pelo que forçosamente hei de deixar, e do que hei de lograr ou perder para sempre, não fazer nenhum caso! Tantas diligências para esta vida, nenhuma diligência para a outra vida? Tanto medo, tanto receio da morte temporal, e da eterna nenhum temor? Mortos, mortos, desenganai estes vivos. Dizei-nos que pensamentos e que sentimentos foram os vossos quando entrastes e saístes pelas portas da morte? A morte tem duas portas: Qui exaltas me de portis mortis. Uma porta de vidro, por onde se sai da vida, outra porta de diamante, por onde se entra à eternidade. Entre estas duas portas se acha subitamente um homem no instante da morte, sem poder tornar atrás, nem parar, nem fugir, nem dilatar, senão entrar para onde não sabe, e para sempre. Oh! que transe tão apertado! Oh! que passo tão estreito! Oh! que momento tão terrível!

in Sermão de Quarta-Feira de Cinzas, Padre António Vieira

Carl Spitzweg - Quarta feira de cinzas

Receita Medieval em Quarta-Feira de Cinzas

Leite de Amêndoas

12 a 20 amêndoas sem pele, já hidratadas.
1 copo (200ml) de água de fonte ou mineral.

Preparação:
Bata as amêndoas com a água, no liqüidificado



Ovas de Peixe


300g de ovas de tainhaSal a gosto
8 colheres (sopa) de banha de porco ou azeite
Folhas de alface
1 limão cortados em gomos

Preparação:
Tempere as ovas com sal. NNuma frigideira, coloque a banha de porco e deixe aquecer bem.Coloque as ovas e frite-as, virando com cuidado, para não partir, até ficarem firmes e douradas.Retire e coloque num prato.Decore com folhas de alface e pedaços de limão.


Obs.: Em 1649, altura em que foi escrito este Sermão, em tempos de jejum, o leite de amêndoas e as ovas de peixe juntavam-se dentro de cascas de ovo e eram assim servidos. O leite de amêndoas substituia o leite normal e as ovas de peixe substituiam a carne. 

Nota: receita tirada da internet. Sermão na integra aqui 

MFM

2 comentários:

Ana CC disse...

Curioso. Não sabia disto.
Proponho que ofereça o leite de amêndoas ao dono do estabelecimento.
As receita da tainha deve ser óptima com ovas de pescada.

Anónimo disse...

Uma receita medieval a usar um liquidificador.
Vou ver o que consigo
SdB(I)

Acerca de mim

Arquivo do blogue