terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Duas últimas

Tenho dois tipos de amigos: aqueles que o são inteiramente; e os que eu denominaria como amigos parcelares. Eu explico.

Os primeiros são os verdadeiros amigos. São os confidentes, os conselheiros, aqueles com quem conto nas horas difíceis e com quem partilho as minhas alegrias. Com eles falo de quase tudo, desde assuntos pessoais até trivialidades mundanas, passando por política, futebol ou os peitos da Bárbara Guimarães.

Já os parcelares são isso mesmo. Não deixam de ser amigos, mas são-no só para determinados efeitos. Com eles converso de assuntos específicos e evito questões pessoais. A escolha dos temas de conversa é alternativa e não já cumulativa como com os amigos verdadeiros.

Vem este intróito a propósito da música que eu posto hoje e principalmente do seu autor, Ludovico Einaudi.

Descobri o Einaudi exactamente através de um desses amigos parcelares. Mas o mais curioso é que a música não era de maneira nenhuma um tema da nossa agenda bilateral. Sem que nada o fizesse esperar, esse tal amigo resolveu um dia oferecer-me a obra completa do Ludovico Einaudi. Fiquei sem jeito como se um tabu se tivesse quebrado. Apeteceu-me dizer que a nossa amizade estava a ser extravazada e que eu não estava preparado para iniciar esta nova relação musical. Por fim aceitei o presente, agradeci e não voltámos a falar no assunto.

Chegado a casa ouvi toda a obra do Einaudi de uma enfiada, quase compulsivamente. É de facto um compositor fantástico com dezenas de músicas muito bonitas.

Escolhi esta por duas razões: porque tem a inspirá-la um tema africano e porque se chama Chanson d' Amour e hoje é o dia dos namorados. Percam 9 minutos do vosso tempo e garanto-lhes que não se vão arrepender.
 
JdC

4 comentários:

Anónimo disse...

Vale os 9m, sim senhor!
As fotografias são belissimas.
Abr
fq

Ana CC disse...

Pois então não é que gostei? Belíssima musica para nos acompanhar ao longo de um dia de trabalho.
Acho que vou importar do Itunes.
Boa semana JdC

JdB disse...

Como já tinha tido oportunidade de te dizer, gostei da música - e vou presumir que gostaria do resto da obra do cavalheiro. O acompanhamento fotográfico também é simpático para que gosta de (re)lembrar África.
Vou presumir que faço parte dos teus amigos parcelares, até porque não falamos dos tópicos que acima mencionaste: futebol, por exemplo...

Luiza Azancot disse...

Bom comeco de dia sim senhor e ainda bem que mo deste a conhecer... bem diferente do Luciano Berio. Gostei muito. Grazie mille.

Acerca de mim

Arquivo do blogue