terça-feira, 10 de julho de 2012

Duas últimas

Esta rubrica nasceu de uma ideia simples: três amigos que se tinham juntado à mesa das cartas durante uma série de anos manteriam um post semanal sobre música. O título é óbvio para quem foi jogador, nomeadamente de King. 

Pela parte que me toca, adulterei o esquema. Muitas vezes, por falta de inspiração, ou fruto de uma confusão mental que me assalta furiosamente, esqueci o objectivo inicial. Pura e simplesmente escrevia sobre o que me apetecia e depois pregava com um youtube... Prerrogativas do editor e dono do estabelecimento.

Tento agora repor as condições iniciais. Apresento-vos os Ink Spots, um conjunto que encontrei há muitos anos, não sei porquê, e ao qual me afeiçoei - e também não sei porquê. Na minha vasta discografia, que em termos de vinyl compreende meia dúzia, se tanto, eles estão presentes. 

Já conhecia Whispering Grass cantada pela Sandy Denny (aqui postado há uma semanas pelo fq). Shanty Town tem um ritmo mais alegre, o que constituirá uma atenuante para a acusação de menoridade mental do blogueiro de serviço. Fica a apresentação de um grupo que nasceu e se celebrizou nos anos 30 e 40, cujas músicas começam sempre com a mesma toada, mas que criou um estilo musical.

Ink Spots, pelo editor e dono do estabelecimento. Haja respeito e consideração, porque é isso que nos merecem as deambulações mentais - por mais estranhas que pareçam - do nosso próximo.

JdB



1 comentário:

Anónimo disse...

Dear JdB, your vinyl collection may have been very small, but it was also very discerning. The Ink Spots rock! Well, not exactly, but you know what I mean. Thanks, PO

Acerca de mim

Arquivo do blogue