terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Duas Últimas

Chega-se a esta altura do Carnaval e todo o meu corpo se arrepela de terror pela época. Felizmente já não me desafiam para festas, já não tenho filhos para mascarar e ainda não tenho netos que, eventualmente mascarados, sentirão todo o meu dó. Não obstante, desejo a todos os foliões a maior das alegrias e o maior dos agasalhos, que o tempo não está para corpos desnudos e sensuais que se torram ao sol e escorregam de tanta transpiração.

Repito a música que postei nesta mesma 3ª feira de Carnaval de 2016, qualquer que tenha sido o dia. Talvez não haja música mais apropriada para celebrar este dia em que todas as folias são possíveis antes das restrições quaresmais.

Deixo-vos com Manhã de Carnaval - a toada lenta retrata a energia com que celebro o dia.

JdB 

 


Sem comentários:

Acerca de mim

Arquivo do blogue