quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Crónicas de um doutorando tardio

Tópicos de Teoria Literária (Hermenegildo Fernandes)

Listas


Interroga-se aqui o conceito e a prática da “lista” através de experiências textuais e iconográficas precisas e historicamente situáveis, recusando-se a priori a ideia de chegar a estabelecer uma gramática universal (autónoma do espaço-tempo) da enumeração. Começa-se por definir um conjunto de semânticas para o conceito de “lista” através de um inventário preciso de possibilidades partindo-se entre outras da lista de listas elaborada por Umberto Eco (La Vertigine della Lista). Exploram-se de seguida algumas dessas possibilidades: a enumeração geracional enquanto história, da Bíblia aos Livros de Linhagens; a enumeração política, das listas de cônsules à seriação da Notitia Dignitatum; a enumeração espacial, dos Itinerários clássicos ao género geográfico árabe e às cartografias; a enumeração do desvio, dos penintenciais a Sade.

***

Tópicos de Teoria Literária (António M. Feijó)

Modernismo e província



“Modernismo” é geralmente associado a cosmopolitismo. Os autores por aquele termo designados muitas vezes têm uma fidelidade local que excede a ênfase internacional da designação. É o caso de Fernando Pessoa e W. B. Yeats, tal como é o caso de José Régio (ou de Teixeira de Pascoaes, se acolhido sob tal designação, e de Agustina Bessa-Luís, discípula dos dois últimos). O seminário analisará, na obra dos autores referidos, e em alguns outros, a natureza de tal tensão.


Sem comentários:

Acerca de mim

Arquivo do blogue