sábado, 21 de novembro de 2009

Gostas do cheiro a capim?


Hoje acordei, tratei da minha prole e como sempre seguimos às respectivas escolas, esses depósitos de miúdos cheios de gente adulta a quem nunca poderei agradecer na totalidade o bem que me fazem, nem apontar a mediocridade, a falta de imaginação e até de responsabilidade. Sim, uma mãe não consegue revolucionar o sistema. Nem um professor, quanto mais uma mãe. Em quase todas as profissões somos paus mandados e a cobardia é a alternativa ao desemprego.

De volta a casa, sabendo que tinha de apagar um fogo editorial, percebi que o meu poço estava praticamente seco. E agora? Posso bater a porta e fugir, meter-me na cama e fingir-me doente. Ficar frente ao ecrã a debitar frases batidas, ou pôr a inteligência a cavar até sentir a água fresca das entranhas da terra. Mas a minha inteligência é estuporada. Lúcida demais para se distrair com ilusões, insensível ao prestígio e à novidade, e a terra, ohh, a terra anda tudo menos repleta de nascentes. Resta o valor da solidariedade, e o tema, a merecer um digno destaque.

Há dias assim, em que a secura trava a palavra, a boa vontade não chega, e a obra meritória não inspira. Até que o telefone toca e o inesperado acontece. O plano modifica-se, a carga alivia-se e a correria abranda. A correria, o tempo contado, tanto para tão poucas horas. Afinal, talvez sejas capaz. Respira. Pensa na água. Lembra-te do fogo. Abre um documento, dá-lhe um nome, salva-o, põe título, faz a entrada ou deixa-a para o fim, mas regala-te, vá, regala-te a descrever esse cortiço virado ao vale. Anda. Imagina-te nele. Tu, ele, o cheiro a capim...

DaLheGas

3 comentários:

fugidia disse...

Adoro!
(o cheiro a capim...)

(pronto, tb o texto ;-) )

cris disse...

DaLdeGas,

Não é a cobardia, mas é o não sabermos o que realmente gostariamos de fazer, e por vezes também é comodismo, pois temos um bom salário e.....
mas se formoa despedidos talvez depois de passar aquele momento de choque , vamos ao nosso interior e procuramos com a nossa imaginaçao coisas que realmente sempre quizemos fazer, vamos procurar nichos de mercado, alternativas, vamos ser nós e ninguém nos derruba.
A vida às vezes supreende-nos com coisas , com que não estamos mesmo à espera, mas por é bom saboreá-las.
Que bom que é o cheiro a capim...
Que bom que é cheiro da verdadeira Liberdade...
Até para a semana....

DaLheGas disse...

A DaLdeGas humildemente agradece :)
Googlem o David Mares, que tem 26 anos , é arquitecto e desenhou esse "abrigo de cortiça", premiado este verão pelo Guggenheim de NY. Pode ter várias utilizações e é ecológico.
boa semana!

Acerca de mim

Arquivo do blogue