domingo, 3 de abril de 2011

Domingo .... Se Fores à Missa !

Para testar a minha própria fé, às vezes penso e pergunto-me como reagiria se tivesse vivido há 2.000 atrás e tivesse assistido a alguns dos milagres de Jesus. (Porque, reparem, não deve ter sido nada fácil para aquela gente aceitar e acreditar que Jesus, era de facto, filho de Deus. Mesmo para nós, que sabemos que essa verdade permaneceu viva durante todo este tempo, surgem dúvidas, quanto mais para os contemporâneos de Jesus que não estavam de todo preparados para verem o que viram, nem ouvirem o que ouviram.)

Acho que não teria acreditado. Acho que só um coração muito puro, simples e humilde conseguiria reconhecer o filho de Deus, aquele em quem depositar toda a esperança, aquele a quem entregar toda a nossa vida. Teria sido certamente fácil reconhecer-lhe características especiais, uma espiritualidade acima do normal, alguma genialidade, excelente capacidade de comunicação e até dons curativos, mas isso só por si não faria dele O Filho de Deus; muitos santos e muitos outros profetas também demonstraram ter essas virtudes.

Então como é que poderiam eles, naquele tempo, e nós, nos tempos de hoje, saber de verdade se Jesus é ou não o filho de Deus ? Não sei, não tenho resposta (objectiva) para esta questão ... acho que ninguém tem ! Acho que essa certeza só pode vir de Deus. Por mais que tentemos procurar razões no nosso coração ou na nossa mente, não vamos encontrá-las, elas não nascem lá; a certeza só pode vir fora, vir de cima, vir de Deus. É Ele que nos envia a capacidade de acreditar, a todos nós, e dependendo do estado do nosso coração -mais aberto ou mais fechado, mais ou menos acessível, mais ou menos atento - iremos acreditar ou não. E dá-se o click. Tal como o JdB dizia na semana passada, a nossa vida nunca mais será a mesma.

Gosto de meditar os Evangelhos metaforicamente. O de hoje – o cego de nascença que passou a ver – pode ser entendido nos dias de hoje, como um apelo a todos nós que estamos cegos para as necessidades dos outros, para o sofrimento de um familiar próximo, perante uma injustiça cometida contra um colega de trabalho, cegos para o perdão e para a tolerância, cegos para cuidar dos nossos pais já velhos e confusos, etc.. etc.. Deixemos, pois, que o milagre se opere também em nós.

Domingo Se Fores à Missa ........ Acredita.

Maf

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, Jesus encontrou no seu caminho um cego de nascença. Cuspiu em terra, fez com a saliva um pouco de lodo e ungiu os olhos do cego. Depois disse-lhe: «Vai lavar-te à piscina de Siloé»; Siloé quer dizer «Enviado». Ele foi, lavou-se e começou a ver. Entretanto, perguntavam os vizinhos e os que o viam a mendigar: «Não é este o que costumava estar sentado a pedir esmola?». Uns diziam: «É ele». Outros afirmavam: «Não é. É parecido com ele». Mas ele próprio dizia: «Sou eu». Levaram aos fariseus o que tinha sido cego. Era sábado esse dia em que Jesus fizera lodo e lhe tinha aberto os olhos. Por isso, os fariseus perguntaram ao homem como tinha recuperado a vista. Ele declarou-lhes: «Jesus pôs-me lodo nos olhos; depois fui lavar-me e agora vejo». Diziam alguns dos fariseus: «Esse homem não vem de Deus, porque não guarda o sábado». Outros observavam: «Como pode um pecador fazer tais milagres?». E havia desacordo entre eles. Perguntaram então novamente ao cego: «Tu que dizes d’Aquele que te deu a vista?». O homem respondeu: «É um profeta». Replicaram-lhe então eles: «Tu nasceste inteiramente em pecado e pretendes ensinar-nos?». E expulsaram-no. Jesus soube que o tinham expulsado e, encontrando-o, disse-lhe: «Tu acreditas no Filho do homem?». Ele respondeu-Lhe: «Quem é, Senhor, para que eu acredite n'Ele?». Disse-lhe Jesus: «Já O viste: é quem está a falar contigo». O homem prostrou-se diante de Jesus e exclamou: «Eu creio, Senhor».


Palavra da salvação.

Sem comentários:

Acerca de mim

Arquivo do blogue