terça-feira, 24 de abril de 2012

Duas últimas

A música foi e continua a ser importante na minha vida. Pese embora não tenha tido em pequeno muito contacto com ela, ou talvez acesso, é certo que desde que consegui catrapiscar o meu primeiro transístor – onde se ouvia musica, lembro-me especialmente do programa vespertino “rock em stock”, e relatos de futebol – ela tem-me acompanhado sempre pela vida fora.

Penso com frequência que se não fosse o que sou, fruto sobretudo das circunstâncias da vida e também da corriqueira “ fuga à matemática”, gostaria de ter sido compositor e intérprete de rock, pianista ou jogador de futebol (perdoem-me o ou!). E, se fui obrigado a deixar de jogar para evitar mazelas de difícil recuperação, já no que respeita à música as possibilidades técnicas de audição e de escolha têm-se ampliado grandemente nos tempos modernos, e graças a Deus os ouvidos ainda vão correspondendo às necessidades.

É ouvindo música que normalmente me sinto mais extrovertido, menos reprimido, mais alegre ou com a sensibilidade mais apurada. Ela altera o meu estado de espírito, acalma-me ou agita-me, anima-me ou torna-me mais sorumbático mas, depois de a escutar, fico sempre melhor. E tenho sorte porque gosto de géneros musicais muito diferentes. Adoro ainda hoje música ao vivo.  

E, deveras importante e gratificante, através da música cimentei grandes e duradouras relações de amizade. Poderia viver sem música, obviamente, neste mundo em que tantos vivem sem coisas muito mais essenciais do que ela. Mas seria uma vida diferente e seguramente muito menos excitante.

Simon & Garfunkel marcaram-me e à minha geração. Deste duo excepcional escolhi duas músicas que espero que apreciem.


fq



4 comentários:

Ana CC disse...

Gosto, acima de tudo, do seu texto. Os amiguinhos S&G suaves e compostinhos nunca me entusiasmaram muito, agora a ideia de o (a si) ver a rockar num palco alternativo...
Aposto que arrasava.
Boa semana fq

Anónimo disse...

Belo texto com o qual sintonizei de imediato. Obrigada, fq. pcp

JdB disse...

Eu então gostei de tudo, até da primeira música (Kathy's song) que não me lembrava de alguma vez ter ouvido.
É uma grande dupla, que faz parte do meu imaginário adolescente e cujo concerto falhámos por pouco em Nova Iorque.
Percebo o que dizes relativamente ao bem que a música te faz. Ao contrário da Ana, poupa-nos o arraso num palco roqueiro. Como capitão da indústria tens responsabilidades...
Abraço abrileiro

Maf disse...

Excelente texto .... excelente escolha da musica. Finalmente me identifico com a banda escolhida por si. S&G fazem parte integrante da minha adolescencia. Sabia de cor quase todas as musicas, mas confesso que não conhecia a primeira. Obrigada por nos trazer aqueles bons momentos de volta.
Maf

Acerca de mim

Arquivo do blogue