quinta-feira, 26 de abril de 2012

Falando do nada

Olá a todos!

A minha escrita carrega hoje uma tarefa que tem tanto de apaixonante como de exigente e preocupante:  transmitir pelo correr da pena ideias e opiniões, convicções e sensações que possam, no mínimo, aguçar a curiosidade do incauto e distraído leitor, conseguindo a proeza, no final, de não provocar no mesmo uma tremenda azia de arrependimento pelo tempo perdido.

A escrita pode, na realidade ter  um peso tremendo. Já Luther King o sublinhava, quando dizia que para fazer inimigos não era necessário declarar guerra a ninguém…bastaria escrever o que se pensa.
Há quem utilize a escrita como arma (defesa, ataque ou arremesso), como fuga ou escape…como aliado.
Pessoalmente, hoje e sempre, utilizo-a como ferramenta de partilha com os outros. Espero consegui-lo hoje também.

A primeira partilha de hoje é dizer-vos quem sou:  um homem de 48 anos, fruto do amor de dois seres oriundos de famílias extraordinariamente humildes e com quase total ausência de formação académica. Ao invés, foram abençoados com uma formação carregada de regras justas e orientadoras do homem que procura o bem alheio… a esse testemunho resolveram adicionar à formação dos seus filhos amor, atenção e verdadeiro e austero sentido de responsabilidade. Este é (felizmente para mim) o meu legado, do qual muito me orgulho e honra e que me transportou até ao homem que hoje se “apresenta” perante vós.

Trabalho há quase 26 anos na indústria farmacêutica e sempre na área comercial. Esta indústria não é, como todos sabem, a melhor escola de virtudes, nem a mais indicada como grande condutora de homens… os caminhos sinuosos de lucro fácil ou de falta de ética confrontam-nos  infelizmente muitas vezes no nosso dia-a-dia profissional. E, como tal, o homem, esse ser fraco e vacilante, sente muitas vezes a vontade de experimentar outros caminhos que não verdadeiramente os seus. Tudo isto somado à tremenda falta de valores com que se vão pautando as ditas sociedades civilizadas de hoje. E eis que surge O momento tão importante em tantas ocasiões da nossa vida: a tomada de uma decisão, a escolha de um caminho, conseguindo renunciar ao fácil ou desprovido de esforço mas muito proveitoso aos nossos olhos. E a maneira como aceitámos ou não o nosso legado…. como o transformámos, adaptámos ou enriquecemos adicionado aos valores e ideais entretanto por nós escolhidos devem, pois, levar-nos a acertar  o maior número de vezes na escolha certa. E, se assim for, é razão para nos darmos como felizes e devedores de graças a Deus: é sinal que temos carácter, honestidade, frontalidade, ética  e força suficiente para fazer face aos principais obstáculos que se nos deparam frequentemente.

E essa é hoje a minha felicidade: o poder olhar para trás e poder ter orgulho no caminho traçado e no respeito granjeado. Pelo reconhecimento de dezenas de profissionais da Medicina na diferença da minha postura sem esperar mais por isso. E que me duplica  forças para acreditar que sim, é sempre possível dizer NÃO ou BASTA! Sim, é possível ser diferente e para melhor! Sim, é possível e necessário darmos testemunho da diferença mesmo quando nos assalta a sensação de remarmos sozinhos ou de sermos apelidados de utópicos.

Como gostaria de terminar esta minha singela partilha de hoje?
Que devemos estar mais atentos ao legado que recebemos e utilizá-lo mais e melhor…
Que o devemos saber honrar e agradecer devidamente…
Que vale a pena continuar a lutar por nós e pelos outros..
Que não somos utópicos antes porta-estandartes da diferença que nos transporta a um mundo melhor e mais apetitoso…
Que somos responsáveis por uma grande e árdua tarefa, mas sempre com a certeza que temos o melhor dos aliados connosco …

Este vosso irmão em Cristo

JC

5 comentários:

Maf disse...

Olá JC (iniciais tão adequadas à sua saudação final:-)) seja bem vindo a este espaço de amigos e familiares, enfim, gente de bem. Sim, concordo totalmente consigo quando diz que a diferença nos transporta a um mundo melhor e se, em cada ramo de actividade, houver pelo menos uma pessoa a marcar a diferença, já valerá a pena o esforço.
Gostei muito do post. Volte sempre.
Maf

Anónimo disse...

Excelente partilha.
Estou com a Maf, volte sempre!
fq

JdB disse...

Em condições normais o novo bloguista seria apresentado antes. Acontece que por motivos diversos - inclusivamente um forte ataque de gota - os meus dias são mais baralhados, e descuro as mais elementares regras de educação e civilidade. Os que me conhecem perdoarão esta falha, atribuindo-lhes excessos alimentares que suscitam ácido úrico e dores substantivas.
Gosto muito de o ver neste estabelecimento. Espero que se vá mantendo por cá, porque o estabelecimento aprecia.
Receba um abraço de boas vindas do editor e dono do dito cujo.

Anónimo disse...

Gostei muito da sua apresentação. Muito bem escrito e totalmente em linha com o "tom" deste blogue. E concordo: é muito importante saber dizer NÃO. Obrigada, JC. pcp

Anónimo disse...

Bom dia JC - "Welcome to the dark side, we have cookies" - TdB

Acerca de mim

Arquivo do blogue