quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

4ªfeira de Cinzas

Hoje é 4ªfeira de cinzas. O mundo cristão inicia a caminhada que terminará na ressureição do Senhor, enquanto o mundo não cristão se divide pela indiferença ou pela tristeza de um carnaval que findou. Durante 40 dias (e só muito tarde percebi como se fazia a contagem deste tempo) falaremos de jejum e de abstinência, ouviremos uma liturgia própria, a expressão "renúncia" soar-nos-á nos ouvidos com uma frequência maior, o sacramento da reconciliação - ou a orientação espiritual para os que estão impedidos da absolvição - assume foros de importância.

A renúncia é um desafio, embora tenha uma dimensão mais proveitosa se for bem comunicada, bem interiorizada, bem entendida. Não renunciamos gratuitamente. Não abdicamos do que quer que seja em nome de uma penitência gratuita ou de uma mortificação do corpo. Prescindimos de algo para que outros recebam o equivalente. Este despojamento configura uma espécie de vasos comunicantes. Isto é, o que deixamos de consumir tem um destino, não fica num limbo que ninguém sabe o que é, onde é e para que serve. Nem mesmo nós. Por isso agarramos no que deixou de ser nosso para o entregar a alguém que com isso viverá melhor.

Estes 40 dias são uma caminhada que a igreja nos disponibiliza para replicarmos para o ano inteiro. O tempo parecer-nos-á pesado, porque tudo nesta época moderna apela à alegria, ao contentamento, ao consumo. A quaresma parece excessivamente mortificante para pertencer a uma era que quer ser o oposto. Este tempo ensina-nos vários verbos: rezar mais, rezar melhor, renunciar com alegria, purificar a alma através dos verbos anteriores. 

Uma Santa Quaresma para todos.

JdB


***


Evangelho: Mateus 6, 1-6.16-18

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos. 1 *«Guardai-vos de fazer as vossas boas obras diante dos homens, para vos tornardes notados por eles; de outro modo, não tereis nenhuma recompensa do vosso Pai que está no Céu. 2*Quando, pois, deres esmola, não permitas que toquem trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas, nas sinagogas e nas ruas, a fim de serem louvados pelos homens. Em verdade vos digo: Já receberam a sua recompensa. 3Quando deres esmola, que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua direita, 4a fim de que a tua esmola permaneça em segredo; e teu Pai, que vê o oculto, há-de premiar-te.» 5«Quando orardes, não sejais como os hipócritas, que gostam de rezar de pé nas sinagogas e nos cantos das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo: Já receberam a sua recompensa. 6Tu, porém, quando orares, entra no quarto mais secreto e, fechada a porta, reza em segredo a teu Pai, pois Ele, que vê o oculto, há-de recompensar-te.

16*«E, quando jejuardes, não mostreis um ar sombrio, como os hipócritas, que desfiguram o rosto para que os outros vejam que eles jejuam. Em verdade vos digo: Já receberam a sua recompensa. 17Tu, porém, quando jejuares, perfuma a cabeça e lava o rosto, 18para que o teu jejum não seja conhecido dos homens, mas apenas do teu Pai que está presente no oculto; e o teu Pai, que vê no oculto, há-de recompensar-te.»  


Sem comentários:

Acerca de mim

Arquivo do blogue