sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Quadros dos dias que correm

A persistência da memória (Salvador Dali, 1931)

4 comentários:

ana v. disse...

O tempo ganha-nos sempre, JB. E às vezes... ainda bem que é assim!

Anónimo disse...

Poucos sabem o que significavam estes «relógios moles» para Dali. Ou, se calhar, muitos. Mas, de qq forma, também não sou eu que o vou dizer aqui:-))

Boa escolha, JB!

Anónimo disse...

persistencia da memoria

Anónimo disse...

persistencia da memoria

Acerca de mim

Arquivo do blogue