sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Textos dos dias que correm

Dá Tempo à Tua Vocação

Nunca dês ouvidos àqueles que, no desejo de te servir, te aconselham a renunciar a uma das tuas aspirações. Tu bem sabes qual é a tua vocação, pois a sentes exercer pressão sobre ti. E, se a atraiçoas, é a ti que desfiguras. Mas fica sabendo que a tua verdade se fará lentamente, pois ela é nascimento de árvore e não descoberta de uma fórmula. O tempo é que desempenha o papel mais importante, porque se trata de te tornares outro e de subires uma montanha difícil. Porque o ser novo, que é unidade libertada no meio da confusão das coisas, não se te impõe como a solução de um enigma, mas como um apaziguamento dos litígios e uma cura dos ferimentos. E só virás a conhecer o seu poder, uma vez que ele se tiver realizado. Nada me pareceu tão útil ao homem como o silêncio e a lentidão. Por isso os tenho honrado sempre como deuses por demais esquecidos.

Antoine de Saint-Exupéry, in "Cidadela"

3 comentários:

Anónimo disse...

Não será o mesmo o que o Gandhi diz??

"There are times when you have to obbey a call which is the highest of all, ie, the voice of conscience, even though such obedience may cost many a bitter tear, separation from friends, from family,... from all that you have held as dear as life itself. For this obedience is the law of our being."

PCP

Anónimo disse...

Lentidão e silêncio: os fantasmas modernos. Mas, atenção: já vi gente enlouquecer por tê-los em demasia... RF

Anónimo disse...

Cumprir-se também passa por aqui, para mim.

Encontrar esse espaço de "silêncio e de lentidão" ou paragem, to hear the inner voice, e segui-la, independentemente de tudo e todos.
É dificil às vezes seguir a vocação.

"...a tua verdade se fará lentamente, pois ela é nascimento de árvore e não descoberta de uma fórmula"

Estes "fantasmas modernos enlouquecem", quando se perde a noção de que continuamos na Terra, e temos aqui e agora o nosso papel a desempenhar.

Acerca de mim

Arquivo do blogue