domingo, 19 de junho de 2011

Domingo ….. Se Fores à Missa !

Neste Domingo celebra-se o mistério da Santíssima Trindade; para mim, a Santíssima Trindade é exactamente isso: um mistério que não se consegue explicar, algo que não tem base científica que o suporte, algo que aceito, tomo como bom mas que, confesso, me suscita dúvidas de vez em quando. Como é que Pai, Filho e Espírito Santo são um e um só? Quem aparece primeiro ? Quem engloba quem ? São três que acabam por se unir num só ou são um que se divide em três ? Faz lembrar um detergente Três em Um! Que obscenidade, diria o padre da minha paróquia, rsrsrs.

Concedo a mim própria o direito de entender e interiorizar o mistério da Santíssima Trindade, como uma trilogia das virtudes ou características mais importantes de Deus. Poder, Amor, Sabedoria.

Poder - atribuo-o ao Pai omnipresente e omnipotente, a quem nada é impossível, a quem nada passa despercebido.

Amor - o que vem do Filho, aquele amor incondicional, verdadeiro, desinteressado, único e ímpar por cada um de nós.

Sabedoria - a do Espírito Santo, aquela que é derramada sobre os apóstolos e que chega, através dos tempos, ao nosso coração. Trata-se de sabedoria emocional, obviamente, não de sabedoria intelectual.

Quando não entendo alguma coisa, gosto de simplificar; será um gesto infantil, dirão alguns, será preguiça intelectual, dirão outros. Não sei. Só sei que as coisas, para mim, têm de fazer sentido. Acho que sofro de Perfeccionismo Agudo; tudo o que não encaixa ou não faz sentido, entra na esfera do caos. Li algures que isto é característico das pessoas muito organizadas, que sou. Daí a necessidade premente e urgente em simplificar tudo o que posso, incluindo o mistério da Santíssima Trindade. Reduzindo-o a uma forma mais simplista – Poder, Amor, Sabedoria – faz-me querer fazer parte dessa Trindade, de facto faz-me sentir parte dessa Trindade.

Domingo, Se Fores à Missa …. Acolhe a Santíssima Trindade

Maf

EVANGELHO Jo 3, 16-18 « O mistério da Santíssima Trindade »

Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: «Deus amou tanto o mundo que entregou o seu Filho Unigénito, para que todo o homem que acredita n’Ele não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele. Quem acredita n’Ele não é condenado, mas quem não acredita n'Ele já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho Unigénito de Deus».


Palavra da salvação.

2 comentários:

Anónimo disse...

A sabedoria está nas coisas simples. Bom domingo Maf e adorei a explicação.

Anónimo disse...

Adorei a explicação! Fabulosa! Porque não a dá ao padre da sua paróquia? Aposto que ía ficar fascinado! Bom Domingo. pcp

Acerca de mim

Arquivo do blogue