terça-feira, 29 de maio de 2012

Duas últimas


1978, como tantos outros ano, foi marcado por inúmeros acontecimentos.

No domínio da religião, a Igreja Católica viu morrerem dois papas – Paulo VI e João Paulo I – e ser eleito um, João Paulo II, que tanta importância teria para Portugal e para o resto do mundo.

Em Portugal, Nobre da Costa substituía Mário Soares como primeiro-ministro de Portugal. Quase três meses antes nascia Laetitia Casta, a francesa que, inquirida quanto à sensação de ter sido escolhida para modelo de Marianne, o símbolo da república de seios desnudos e barrete frígio, diria do alto do seu corpo magnífico de cidadã: chouette, quoi...

Ainda nesse ano tornavam-se independentes as Ilhas Salomão, a República Dominican e Tuvalu - sendo que este estado da Polinésia poderá desaparecer devido ao aquecimento global.

No campo das artes, a Bienal de Cerveira, em Vila Nova de Cerveira, abria as portas pela primeira vez, e faleciam Vitorino Nemésio e Ruy Belo, o poeta que escreveu E tudo se passava numa outra vida / 
e havia para as coisas sempre uma saída / 
Quando foi isso? Eu próprio não o sei dizer
 / 
Só sei que tinha o poder duma criança / 
entre as coisas e mim havia vizinhança /
 e tudo era possível era só querer. Isaac Bashevis Singer – um nome de que ignorantemente nunca ouvira falar - era nomeado Prémio Nobel da literatura.

Dallas, uma séria norte-americana sobre dinheiro, vingança, sexo, paixão, sede de poder e intrigas familiares surgia na televisão pela primeira vez, apresentando JR, o temível, e Pamela, a exuberante (do latim exuberante, particípio presente de exuberare - abundar, transbordar).

Louise Brown, o primeiro bebé proveta, nascia a 25 de Julho, no mesmo ano em que surgia a primeira drive de disquetes.

No campo da sétima arte, entre as dezenas de filmes que surgiram num cinema perto de nós, destaque-se O Caçador, vencedor de cinco Óscares.

Ainda neste ano, Gabriel Schaaf grava Põe os Teus Braços à Volta de Mim, cantado com um ligeiro sotaque portista que lhe dava um encanto especial. Não descurem quem lhes fizer um pedido semelhante. 

JdB


2 comentários:

JdC disse...

Que saudades! De 1978, de tudo o que os nossos 20 anos nos permitem e da música da Gabriela Schaff. 1998 também não foi mau até porque nesse ano a Laetitia Casta fez 20 aninhos.

Maf disse...

..... se eu tivesse 20 anos e soubesse o que sei hoj, la la la la ..... :-) agora entendo bem a musica de Paulo Carvalho.
Gosto deste post saudosista. Desafio-o a pesquisar o ano de 1957 :-)

Acerca de mim

Arquivo do blogue